>> 10/08/2008

A essência da verdade

Nestes frascos em que te procuro;
Há tantos frascos sem nenhuma essência.
Em tantos poemas te juro;
Total obediência.

Esqueço-te!
Como as musicas
Que são esquecidas
Após uma dormida.
Amo-te!
Como as flores
Que são amadas
Após serem beijadas
Pelas cores
Do sol.

Conheço-te!
Mas como tudo
Que não entendo,
Pois olhas para mim
Assim, tão fugitiva,
Tão... arisca
Isso por que... és parida
Com palavras amargas.
Pois as mais belas palavras;
Que agora são ditas
Por fracos;
São como os frascos,
Sem nenhuma essência.

1 Sopros de vento:

Pipa 21 de agosto de 2008 21:45  

Ei Rafa. Passando por aqui pra retribuir sua visita la no Rimas. Volta lá mais vezes até se sentir em casa. Farei isso por aqui também.
Bjos

  © Blogger template Shiny by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP