>> 15/02/2009

Flor poesia.

Eu queria fazer uma rima
Com “mulher”.
Eu queria ter uma mulher
Para rimar.
E sem essa palavra amiga,
Sigo sozinho,
Sem rimar.

Por que eu gosto
De escrever para mulheres.
Gosto de mulheres
Que escrevem.
Com suas palavras doces;
Com suas rimas leves.

Gosto das que,
Ironicamente,
Fazem ironias.
Com suas próprias palavras,
Fazem rimas.
Como canto de pássaros;
Como cheiro de flor.

Fazem poesia,
Da própria poesia que são.

Mas eu,
Nem poeta sou.
Sou só admirador
Desse canto de pássaros;
Dessa flor ao vento,
Que já nasce poesia.
Tão poesia,
Que com seu nome, mulher,
Eu, simples mortal,
Nem sequer uma rima
Posso fazer.

Por isso escrevo poemas
Sem rima.
Pois sem rima sou.
Sou apenas mortal.
Fazendo humildes poesias.
Mas tu, mulher,
És a própria poesia.
Poetizada e eternamente,
Poetiza.
..................................................(escrito originalmente em 28 de outubro de 2008)

1 Sopros de vento:

♥ Tamires Alencar ♥ 3 de junho de 2010 09:47  

Gostei mt desse poema, vc escreve mt bem! Parabéns pelo espaço e pelas palavras!

  © Blogger template Shiny by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP